Um grande erro que os médicos cometem é indicar técnica e não a fisioterapia. No Brasil a osteopatia é uma metodologia que apenas fisioterapeutas pode executar não uma técnica em si, diferentes de outros países  da América do Norte por exemplo.

Conhecida como estaladores de ossos, antigamente, os osteopatas acreditavam que a mobilização e manipulação articular, bem como de tecidos moles ajudam o corpo a se curar sozinho.

Osteopatia, do grego osteon (ὀστέον), “osso” e pathos (-πάθὀσ), “doença”,[1] é uma prática fisioterapêutica, dantes vista como alternativa, mas hoje já exitem milhares de artigos  científicos nas melhores revistas de ciência do mundo.

 Osteopatia foi criada pelo Médico americano Andrew Taylor Still (1828 – 1917).

Andrew Taylor Still, estava convencido que no século XIX a abordagem aos pacientes era inadequada. Isto gerou em Still um imenso desejo de melhorar a cirurgia, a obstetrícia e o tratamento geral das doenças baseando-se em critérios mais racionais e científicos. A medida que seu conhecimento foi evoluindo, Still criou um sistema inovador de diagnóstico e tratamento em que se baseia em princípios fisiológicos e naturais de cura. Este conhecimento, baseado em estudos detalhados de anatomia e fisiologia humana, foi se desenvolvendo a medida que novas concepções surgiram e incrementaram todo o raciocínio descrito por Still.

Após perder três filhos com meningite em 1864, Still se focou em estudar a natureza da saúde e das doenças em geral. Seu objetivo era descobrir métodos efetivos para curar e prevenir tudo o que acometia seus pacientes. Ele acreditava que havia um Deus de verdade e que toda a sua obra, seja espiritual ou material, é harmoniosa. Sua lei de vida animal é absoluta. Um Deus tão sábio colocaria, sem dúvida, o remédio para a cura dentro do local onde está o espirito desta vida,ou seja, no próprio corpo. Além disso, ele acreditava que poderia chegar nestes remédios e de alguma maneira o corpo responderia se equilibrando. Nesta busca, Still combinou conceitos filosóficos com as teorias científicas da época. Integrou estes conhecimentos com suas descobertas pessoais e estudos profundos de anatomia, física, química e biologia. O resultado foi a formulação de sua nova filosofia e suas aplicações, que denominou Osteopatia.

No dia 22 de junho de 1874 foi criada a Osteopatia. Still disse: “O principal estudo do Homem é o Homem”. Dissecou inúmeros cadáveres para comprovar sua hipótese. Still acreditava que se pudesse entender a construção (anatomia) do corpo humano, poderia compreender as leis da natureza e então, encontrar as “chaves” para a saúde. Para Still, não são os Médicos que curam as doenças, eles ajustam as estruturas, devolvem a função e o corpo se harmonizará novamente. “O poder do homem para curar é apropriado na medida em que se possui um conhecimento da posição correta ou normal, e na medida que possui perícia para ajustar os ossos, músculos e ligamentos e proporcionar liberdade a nervos, sangue, secreções e excreções”.

A grande verdade é que a escola de osteopatia ensina uma visão mais globalizada que o estudo tradicional da fisioterapia, transformando  o  raciocínio clinico no seu grande aliado na hora do  tratamento.

Tendo apenas as mãos o fisioterapeuta avalia as tensões, organizações articulares do  corpo  inteiro, tensões essas vindas de baixo para cima, de cima para baixo e de dentro para fora. Sim,  se seus órgãos não estiverem trabalhando  direito, ou em excesso  de trabalho, podem estar comprometendo os tecidos em volta dele gerando  tensão e comprometimento em articulações distantes.

Em poucas sessões você já esta liberado para fazer suas atividades diárias, mas sempre orientamos a pratica de uma atividade supervisionada, um pilates, ou  treinamento funcional para ter certeza da consciência de seus movimentos sem gerar estresse desnecessário na articulação podendo  ter um novo  desequilíbrio tensional, e depois liberado para atividades intensas. Ter um profissional treinado sempre de olho em você faz com que gaste menos dinheiro e tempo  em serviços médicos, e te salva de radiações de exames que são muito  nocivos ao organismo quando  feitos em excesso.

Por isso muitas vezes cai por terra a recomendação medica de fazer fisioterapia todo dia ou até mesmo três vezes por semana, se precisamos deixar o  corpo  se restabelecer, não podemos dar novas informações em uma semana, cada indivíduo tem seu tempo  de resposta e reorganização.

Então quando seu médico indicar osteopatia, procure um fisioterapeuta que tenha esta formação, como  na nossa Clinica Physioterapia e  Consultórios.

Venha entender o novo conceito de fisioterapia, onde sua vida vai ser com mais qualidade, com mais tempo para sua família e para as atividades  que você mais gosta.

Venha  fazer uma avaliação integrada e conhecer seu corpo como  ninguém mais.

Conheça nossas especialidades em nosso site : www.physioterapia.com.br

Roberta dos Santos Cavenaghi

Especialista em Ortopedia e trauma e Movimento Humano

CREFITO 3/72489 –F

CEO da Physioterapia e Consultorios

CEF da Infinity saúde e fitness