A realização de uma cirurgia plástica, para algumas pessoas, é a realização de sonho, ou um desejo muito grande. Vidas podem ser transformadas, mas cuidado, pode virar pesadelo também.

Todo procedimento cirúrgico exige um planejamento completo da equipe medica, quanto aos resultados, intercorrências, veja no artigo,  e a reabilitação, todos os passos são previstos. Em uma cirurgia plástica não é diferente.

Seja qual for sua indicação, estética ou reparadora, a cirurgia plástica está a cada dia mais acessível. As pesquisas e processos evoluem cada vez mais, mudanças na qualidade de vida e aspectos sociais podem ser melhorados como mostra neste artigo.

Nesse advento, a fisioterapia também vem evoluindo a passos largos.

A especialidade da fisioterapia que trata e cuida das cirurgias plásticas estéticas e reparadoras, é a fisioterapia dermatofuncional de acordo com a resolução.

O fisioterapeuta dermatofuncional avalia fatores que estejam relacionados à disfunção, dentre eles retrações musculares, deformidades articulares, desvios posturais que levam a alguma alteração estética e funcional, insuficiência circulatória linfática e sanguínea, processos cicatriciais, melhora e tratamento nas possíveis complicações de uma cirurgia plástica.

Hoje atuamos no pré, intra e pós-operatório. Todos os passos de cirurgia plástica são observados, afim de diminuir as possibilidades de complicações e auxiliando em um resultado estético funcional adequado ao paciente.

Na fisioterapia pré-operatória de cirurgia plástica os objetivos principais são:

  • Melhorar a circulação sanguínea
  • Melhorar a circulação linfática
  • Nutrir e melhorar a elasticidade cutânea
  • Orientar e Conscientizar o paciente das restrições e adaptações

Neste período podemos utilizar técnicas e recursos variados, com e sem aparelhos, dependendo da necessidade do paciente.

Na fisioterapia intra- operatória o objetivo é auxiliar os processos de recuperação, sendo de suma importância uma abordagem que garanta a melhor circulação e reparação do tecido lesionado. Os melhores e mais atualizados cirurgiões plásticos recomendam o acompanhamento fisioterapêutico.

Na fisioterapia pós- operatória de cirurgia plástica já é bastante difundida, porém, poucos sabem que ao realizar a avaliação, o fisioterapeuta, leva em consideração a extensão/ tempo/ tipo/ vascularização/ complicações/ cicatrizes/ área da cirurgia, além de próteses inseridas ou não, hábitos de vida e nutrição da pele, possíveis alterações posturais e respiratórias, dor, sensibilidade etc.

São muitos os aspectos analisados.

No processo pós- cirúrgico é importante respeitar as fases de recuperação, onde existem necessidades e particularidades.

Podemos citar a drenagem linfática que é, sem dúvida, um dos recursos mais utilizados.

A drenagem linfática manual tem por objetivo reduzir o edema local favorecendo o reparo da pele. É realizada com movimentos suaves e lentos, sem causar dor, respeitando as direções do sistema linfático da pessoa.

Manobras manuais suaves especificas são utilizadas como o LTF, veja mais neste artigo,  que favoreçam o direcionamento adequado cicatrização, prevenindo e tratando fibroses, veja os mecanismos celulares envolvidos neste artigo,  e aderências.

Evitando que essa se torne patológica, afetando outras estruturas como músculos e articulações, e também.

Com uma boa cirurgia e um pós- operatório adequado a cicatriz cirúrgica fica quase imperceptível.

Nas complicações das cirurgias plásticas a fisioterapia utiliza recursos como laser,  radiofrequência e outros recursos, dependendo de cada caso. Visando reestabelecer a melhor cicatriz e alta medica, com menores sequelas possíveis.

Realizar uma cirurgia plástica com acompanhamento completo fisioterapêutico dermatofuncional, é o mais assertivo quando se busca os melhores resultados.