RMA (Reprogramação Músculo – Articular) – método terapêutico desenvolvido por fisioterapeutas brasileiros, que utiliza esparadrapos em formato especial, chamados Células Programadoras, sem qualquer tipo de medicamento, aderidos sobre a pele. São aplicados em locais determinados a partir de uma avaliação clínica individual e criteriosa, não necessariamente na região dos sintomas apresentada pelo paciente e sem a intenção de imobilizar o local da aplicação. Trata a origem da lesão e não apenas as manifestações clínicas. Tem por objetivo corrigir as alterações biomecânicas do sistema musculoesquelético através de estímulos exteroceptivos (táteis), promovendo um distensionamento das estruturas anatômicas em sobrecarga.

  • Análise individual de cada paciente;
  • Reequilíbrio energético e biomecânico;
  • Reequilíbrio das cadeias musculares e articulares;
  • Normalização da amplitude de movimento;
  • Normalização do tônus muscular.

Importante: o esparadrapo utilizado como forma de estímulo é um produto aprovado pela ANVISA. 

Os indivíduos que podem se beneficiar com o tratamento através do RMA são aqueles que apresentam distúrbios tratáveis pela Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional, tais como:

  • Processos inflamatórios (tendinites, bursites, etc.);
  • Processos álgicos relacionados a distúrbios da coluna (espondilopatias e discopatias), além de atuar de forma coadjuvante no tratamento das alterações posturais;
  • Traumas e contusões, inclusive ocasionados pela prática esportiva (distensões e contraturas musculares, entorses, luxações, pós-fratura, tensão e fadiga muscular, etc.);
  • Lesões de componentes articulares (ligamentos, meniscos, cartilagem), inclusive pós-cirúrgicos;
  • Distúrbios relacionados à atividade laboral (patologias consideradas pertencentes ao grupo LER/DORT);
  • Processos de alteração metabólica (edemas e hematomas) – pós-cirúrgicas e pós-traumáticas;
  • Possibilidade de intervir em disfunções cutâneas: cicatrizes hipertróficas e quelóides (que limitam a funcionalidade) e retrações e aderências cutâneas pós-cirúrgicas e pós-traumáticas;
  • Cefaléias; nevralgias; síndromes; distúrbios de ATM;
  • Tratamento coadjuvante nos casos de artrite e artrose.

Obs.: além do caráter terapêutico, como as avaliações e aplicações são realizadas com o objetivo de equilibrar biomecânica e energeticamente o indivíduo, os estímulos promovidos pelo Método RMA podem, de forma indireta, ou seja, pela melhora da função do sistema musculoesquelético, promover também a melhora do rendimento esportivo em caso de atletas e praticantes regulares de atividade física e esportes.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE